Volume

Jhonatas Souza

“O volume é um indicador gráfico amplamente usado pelos analistas técnicos, pois costuma mostrar o comportamento dos grandes investidores no preço de um ativo“.

 
O volume é originado após a concretização de um negócio em um ativo e pode ser dividido em 3 tipos: ações, financeiro e negócios. Para entender melhor o cálculo de cada um destes volumes, vamos pegar como exemplo a compra de 1000 ações da PETR4 no valor de R$ 25,00. Na execução total desta ordem obtemos as seguintes informações:

1. Volume de ações – quantas ações foram negociadas? Correto, 1.000 ações. O volume de ações da PETR4 ao final de um pregão é a quantidade total de ações negociadas durante o dia.

2. Volume financeiro – qual foi o valor em reais da transação? Excelente, R$ 25.000,00, o qual é obtido ao multiplicar a quantidade de ações pelo valor da compra. O volume financeiro de um ativo ao final do pregão é o valor total em reais negociado durante o dia.

3. Volume de negócios – quantos negócios ocorreram na execução da ordem de compra da PETR4? Em uma ordem de compra da PETR4 de 1000 ações a 25,00, pode ocorrer a execução total da ordem em um único negócio ou a mesma pode ser executada em duas ou mais partes.

Por exemplo, 300 ações para o investidor Fulano, 200 ações para Cicrano e 500 ações para Beltrano. Logo, o volume de negócios no final de um pregão é a quantidade de negócios realizados durante o dia.

Como o volume é representado no gráfico?

 Através de barras verticais, que geralmente ficam na parte inferior da janela, conforme pode ser visto no gráfico diário da PETR4. Quanto maior for o volume mais alta será a barra. Logo, quanto menor for o volume mais baixa será a barra no gráfico.

Cada barra representa o volume de um determinado período. Neste exemplo, cada uma representa o volume diário da PETR4. Em um gráfico intraday de 60 minutos, cada barra representará o volume de ações, financeiro ou de negócios de uma determinada hora de pregão.

Qual a importância do volume na análise técnica?

1. Confirmação da tendência do preço – o volume confirma uma tendência de alta do preço quando há um volume maior nos dias de alta e menor nos dias de baixa. Por outro lado, o volume confirma uma tendência de baixa quando há um volume maior nos dias de baixa e menor nos dias de alta.

A figura 1 mostra a tendência de alta do preço confirmada pelo volume. Por quê? Observe que no movimento de alta o volume foi alto e crescente. Já no movimento de baixa o volume foi mais baixo e decrescente. Este fato aumenta a chance do preço retomar o seu movimento de alta.

A figura 2 é o inverso, mostra a tendência de baixa do preço confirmada pelo volume. Por quê? Repare que desta vez o volume é mais alto e crescente quando o preço da ação cai. Por sua vez, quando o preço sobe o volume fica mais baixo, inclusive decrescente. Este fato aumenta a chance do preço retomar o seu movimento de baixa.

2. Rompimento de suportes ou resistências – quando o preço de um ativo supera uma faixa de resistência ou suporte acompanhado de um volume alto, preferencialmente acima da média, aumenta-se a chance de continuar o movimento do preço a favor da direção do rompimento.

Para ficar mais claro, vamos ao exemplo usando o gráfico diário da ELPL4. No ponto A observe que houve o rompimento da zona de resistência de uma congestão. No dia do rompimento houve um volume alto, bem acima da média, o que aumentou a probabilidade do preço continuar subindo.

Sempre tenham em mente que, para uma boa análise e uma boa utilização deste indicador demanda de muito estudo e tempo de dedicação.

Jhonatas Souza
09/07/2020
 

Related Blog

Leave a CommentYour email address will not be published.