O que é o Valor Econômico Adicionado (EVA)

Roberto Coutinho

Por que empresas de países desenvolvidos conseguem gerar valor aos acionistas mais facilmente ao longo do tempo? A resposta está num conceito chamado de Economic Value Added (EVA), a tradução para o português seria Valor Econômico Adicionado“.

Q

A fórmula do EVA é a seguinte:

EVA = (ROIC – WACC)*(Capital Investido)

Onde ROIC é o retorno sobre o capital investido e o WACC é o custo de capital.

A chave de tudo está em você entender que quanto maior a diferença entre ROIC e WACC, mais valor é gerado pela companhia. Isso é fácil de entender. O WACC é o quanto te custa captar dinheiro para seu negócio, enquanto o ROIC é o retorno que você tem ao investir esse dinheiro nos projetos de expansão do seu negócio. Entendeu? Você captou a um custo X e está entregando um resultado Y.

Ocorre que nos países desenvolvidos o WACC é normalmente bem mais baixo do que no Brasil, pois as empresas conseguem se financiar com juros mais baixos ou captar dinheiro de acionistas também de forma mais barata. Além disso, por terem economias mais estáveis e muito mais bem estruturadas, é mais comum vermos empresas de países desenvolvidos com ROIC elevado por mais tempo. A instabilidade econômica pode por exemplo ocasionar muita oscilação no ROIC, onde se obtém retornos mais altos em momentos de economia indo bem e ROIC mais baixo quando a economia vai mal.

Portanto, em momentos que a economia vai bem, há uma expansão da diferença entre ROIC e WACC para a maioria das empresas, especialmente para as empresas mais cíclicas. Quando a economia vai mal, há uma compressão dessa diferença, ou porque o ROIC baixou ou porque o WACC aumentou (ou ambos simultaneamente). Essa diferença inclusive pode ficar negativa, causando destruição de valor para os acionistas.      

O risco-país do Brasil se eleva muito em momentos de instabilidade econômica e isso impacta diretamente no aumento do custo de captação de recursos pois os acionistas e credores enxergam maior risco ao injetar capital na empresa. Por exemplo: ao decidir fazer um IPO em momento de crise, a demanda por ações está baixa e a empresa não consegue lançar tais ações com preço mais elevado. Pode reparar que a grande maioria das empresas prefere fazer IPO em momento de extrema euforia para poder vender as ações como preço bem elevado e captar um volume maior de dinheiro.

Roberto Coutinho Machado
24/06/2020

Related Blog

Leave a CommentYour email address will not be published.